KIT KENZABURO OE

 

CONTEÚDO DO KIT


• 1 exemplar do livro: Substituição ou As regras do tagame, A
• 1 exemplar do livro: Adeus, meu livro!




Sobre os livros 

Substituição ou As regras do tagame, A



Mescla de elementos ficcionais conjugados com peças da vida real, A substituição ou As regras do Tagame, do autor vencedor do Prêmio Nobel Kenzaburo Oe, leva os leitores ao sublime por meio de diálogos, memórias e acontecimentos perturbadores. 

Em elaborado jogo de espelhos, Oe traz à baila a persona de seu cunhado, o cineasta Juzo Itami (de Tampopo, os brutos também comem spaghetti, no título brasileiro), ora a de seu filho Hikari, ora a da irmã de Juzo Itami. Provêm também da vida real seus entreveros com os yakuzas, os mafiosos japoneses.

Nada é completamente fictício, e nada é real por inteiro. A dosagem é fluida. A reflexão sobre o criar, seja na escrita, seja na música, e aqui paira, sereno, o filho — mais uma vez a vida real se sobrepondo à romanceada. Ou o oposto... 

Oe lança nesta primeira parte de sua grande trilogia da idade madura um árduo grito sobre a “vulnerabilidade fundamental do homem”, em seus próprios dizeres, e que ele remói a fundo para destrinchar as fronteiras abissais da amizade humana.

Tradutor: Jefferson José Teixeira
Formato: 16x23cm
Páginas: 352
ISBN: 978-65-86068-56-6



ADEUS, MEU LIVRO!  - 


Adeus, meu livro!, de Kenzaburo Oe, Prêmio Nobel de Literatura 1994, é o primeiro livro da Estação Liberdade em 2023. O romance integra uma trilogia do autor, da qual também faz parte A substituição ou As regras do Tagame, publicado pela casa no ano passado. 

O livro traz como protagonista o mesmo Kogito Choko de A substituição, agora mais velho e, alter ego do próprio Kenzaburo Oe, com uma carreira literária consolidada. Em diálogo com Shigeru Tsubaki, um amigo de infância que volta a conviver com ele, Kogito vai relembrar o que já escreveu, repensar como continuar escrevendo e ter que decidir como manter seu pacifismo perante um mundo tão mudado e violento. Traduz aqui em romance de maturidade seu engajamento público contra o afastamento do Japão de sua constituição antimilitarista. 

Kenzaburo Oe aborda com sutileza mas também em profundidade praticamente todas as formas de criação artística, como que fazendo um grande balanço comparativo, em que entram literatura, cinema, teatro, música, arquitetura, mas reflete também sobre as idiossincrasias da vida acadêmica. Ademais, nos traz um belo libelo sobre a amizade, e até onde ela pode levar.

Tradutor: Jefferson José Teixeira
Formato: 16x23cm
Páginas: 448
ISBN: 978-65-86068-73-3

                                                                                                       




KENZABURO OE 

Kenzaburo Oe nasceu em 1935, em Ose, vilarejo das florestas de Shikoku, a menor das quatro principais ilhas do Japão. Oe tinha seis anos quando estourou a Segunda Guerra Mundial, durante a qual seu pai morreria. Uma de suas avós era contadora de histórias e carregava assim os mitos e as tradições do clã Oe, impactando o jovem Kenzaburo. 

Aos dezoito anos, pegou pela primeira vez o trem até a capital do país e, um ano depois, estudava literatura francesa na Universidade de Tóquio. Através da influência do realismo grotesco de Rabelais, passou a reinterpretar a história de seu povoado e a sua própria.

Começou a escrever em 1957. Compôs um poderoso ensaio sobre o bombardeio atômico de Hiroshima e o terrível legado da catástrofe, além de uma extensa lista de ficção que se utiliza bastante do Japão pós-guerra para retratar uma geração marcada por tanta tragédia. A vida e a carreira literária de Oe entraram em crise com o nascimento de seu primeiro filho, Hikari, portador de uma deformidade craniana que lhe resultou em comprometimento cognitivo. Apesar disso e mesmo por causa disso, Oe adquiriu novo fôlego e nova perspectiva sobre a vida e a escrita, em que Hikari tomaria uma posição central.

No Brasil, já foram publicadas as obras Uma questão pessoal (2003), Jovens de um tempo novo, despertai (2006), 14 contos de Kenzaburo Oe (2011) e Morte na água (2021), todas pela Companhia das Letras. 

Recebeu os mais importantes prêmios literários do Japão, incluindo o Akutagawa, o Tanizaki e o Yomiuri; em 1994 foi premiado com o Nobel de Literatura.





Livro
Tradutor Jefferson José Teixeira
Formato 16 x 23 cm

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.