TERRÁQUEOS 


TERRÁQUEOS é o segundo romance da autora japonesa Sayaka Murata publicado pela Estação Liberdade, e assim como em QUERIDA KONBINI — romance que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares em todo o mundo — Murata questiona e confronta o conceito de normalidade da sociedade atual e nos deixa com uma simples pergunta: Até onde você iria para ser você mesmo?

A protagonista e narradora de TERRÁQUEOS é Natsuki. Ela poderia passar por uma criança comum, com devaneios infantis, como a crença em dons mágicos, seres extraterrestres e bruxas. Mas, conhecendo sua história, questionamo-nos se esses não são, na verdade, mecanismos de fuga que a menina desenvolveu para lidar com uma sociedade opressora — e, mais especificamente, com traumas desencadeados por abusos de diversas ordens. Seu estranho namoro com o primo Yuu, seus “poderes mágicos” e seu amigo de pelúcia Piyut são as únicas coisas que mantêm Natsuki — em suas próprias palavras — sobrevivendo, já que viver lhe parecia algo muito fora de alcance. “Até quando eu teria de sobreviver? Será que algum dia poderia apenas viver e não sobreviver?”


          


SAYAKA MURATA

Sayaka Murata nasceu em 1979 em Inzai, na província de Chiba, próxima a Tóquio. Fã de mangás e ficção científica, desde a infância já escrevia histórias. Seu romance Querida Konbini (Estação Liberdade, 2018) — que já vendeu mais de 1 milhão de exemplares em todo o mundo — rendeu-lhe o prêmio Akutagawa em 2016. Antes, havia recebido os prêmios Gunzo e Noma, em 2003 e 2009, ambos voltados para novos escritores, e o prêmio Yukio Mishima, em 2013. 

Os temas abordados por ela costumam se relacionar à não conformidade dentro da sociedade japonesa nas relações de gênero, trabalho e na sexualidade, muitas vezes incorporando aspectos distópico ou de horror. Seu conto “Um casamento limpo”, sobre um casal que deseja conceber um filho sem fazer sexo, foi publicado na Granta Vol. 13: Traição, também em tradução de Rita Kohl.



Livro
Tradutor Rita Kohl
Formato 14x21cm
Páginas 288
ISBN 978-65-86068-24-5

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.