A PISCINA; DIÁRIO DE GRAVIDEZ; DORMITÓRIO: TRÊS NOVELAS


As três novelas do volume, cada qual a seu modo, tocam em dois temas caros a Yoko Ogawa: memória e ausência.

Em A piscina, a jovem Aya precisa lidar com o amadurecimento que a deixa entre a lembrança de um passado mais simples, que fica para trás, e o vislumbre de um futuro complexo, difícil e sofrido. Amadurecer será para ela conciliar os novos sentimentos e uma época em que “não conhecia a tristeza nem a dor no coração”.

Diário de gravidez, é narrada mesmo em forma de diário pela irmã da grávida. Yoko Ogawa usa a força da sugestão para gerar algo que a um só tempo existe e não existe — uma versão literária do gato de Schrödinger, por assim dizer. Várias entradas do diário descrevem uma gravidez que parece um delírio. Mas, se é mesmo o caso, quem será que delira: a narradora, a irmã ou os leitores?

Em Dormitório, uma mulher retorna ao dormitório universitário em que viveu durante os tempos de estudante, nos arredores de Tóquio. O local, administrado por um estranho professor, aos poucos se deteriora e deixa de ser como a mulher recorda. Seu retorno é como o de alguém que vai à periferia de uma mente e lá encontra memórias que aos poucos desaparecem ou se transformam.

Sejam abelhas saindo de uma das milhares de aberturas de uma colmeia e entrando em outra, seja a água em muitas de suas direções — para cima com os respingos de um mergulho ou para baixo com uma chuva torrencial —, as imagens poéticas de Yoko Ogawa para representar a fluidez permitem que o ausente seja também presente e a memória, imaginação. 

LEIA UM TRECHO DA OBRA


Saiba mais:  

• Uma coisa e ao mesmo tempo outra
O prazer de ser cruel 





Clube de Leitura JAPAN HOUSE SP + QUATRO CINCO UM deste mês discute A PISCINA; DIÁRIO DE GRAVIDEZ; DORMITÓRIO: TRÊS NOVELAS, de Yoko Ogawa (trad. Eunice Suenaga).
O encontro acontece no dia 31 de agosto, às 19h. Os encontros do Clube de Leitura são realizados online, por meio da plataforma Zoom. O link para o acesso é enviado aos inscritos por e-mail.
Custo: participação gratuita, mediante inscrição prévia (vagas limitadas

Clique aqui 


          


YOKO OGAWA

Yoko Ogawa nasceu em Okayama, Japão, em 1962. Sua vocação leitora foi despertada precocemente por clássicos infantis, graças a um sistema de assinatura de livros de que a família dispunha. Gosta de citar O diário de Anne Frank como uma referência decisiva para perceber a escrita como via possível e necessária de autoexpressão. Estudou escrita criativa e publicou diversos livros, entre ficção e não ficção. Vive atualmente em Nishinomiya, província de Hyogo — nas proximidades de Kyoto.

Arrebatou todos os prêmios referenciais do meio literário japonês. No Brasil, a autora publicou O museu do silêncio (2016); A fórmula preferida do Professor (2017), obra que foi vertida para o cinema pelo diretor Takashi Koizumi, ex-assistente de Akira Kurosawa; e A polícia da memória (2021), cuja tradução para o inglês foi finalista do International Booker Prize. Todos os títulos foram publicados pela Estação Liberdade.



Livro
Tradutor Eunice Suenaga
Formato 14x21cm
Páginas 168
ISBN 978-65-86068-76-4

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.